Nova Olimpia (MT), 16 de agosto de 2022 - 11:07

? ºC Nova Olimpia - MT

Slideshow

06/08/2022 08:30 olivre.com.br

União Brasil oficializa candidatura de Mauro Mendes. Neri e Márcia concluem convenções sem nomes à suplência e vice

Governador vai concorrer à reeleição novamente junto com o empresário Otaviano Pivetta (Republicanos) em aliança com mais de seis partidos

 

O União Brasil homologou nessa sexta-feira (5) a candidatura pela reeleição do governador Mauro Mendes e chapa de candidatos a deputados estadual e federal. Mauro concorrerá a um novo mandato, novamente com Otaviano Pivetta (Republicanos) como vice-governador. 

No discurso de lançamento de candidaturas, Mauro Mendes falou sobre a família, o superávit financeiro do Estado e o projeto para mais quatro anos de governo. Ele disse que sua família foi sua força para concorrer ao primeiro mandato ao governo e continua sendo a sustentação na campanha de reeleição. 

O governador também citou as obras em infraestrutura nos três anos e meio deste mandato, anos em que conseguiu criar caixa de acima de R$ 3 bilhões, e emendou “o equilíbrio” financeiro à possibilidade de construção de 40 mil casas populares, a partir de 2023.  

“Vamos em busca da reeleição para que Mato Grosso continue na direção correta, aplicando corretamente o dinheiro público e fazendo a vida do mato-grossense continuar melhorando, com cada vez mais oportunidades e desenvolvimento”, afirmou. 

O evento foi acompanhado pelo senador Wellington Fagundes (PL), que faz parte da campanha majoritária via aliança, e também pela deputada estadual Janaína Riva (MDB), vice-presidente do MDB, outro partido que da base de apoio. 

Candidatos a deputado

Os candidatos nas chapas proporcionais têm nomes conhecidos. O presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho, e o líder do governo no parlamento, Dilmar Dal Bosco, vão concorrer a novo mandato. Júlio Campos também tentará voltar à política, 10 anos após sua última disputa. 

À Câmara Federal, vão representar o União Brasil, o presidente do diretório estadual, senador suplente Fábio Garcia e a ex-funcionária pública Gisela Simona, por exemplo.

A aliança em torno do governo tem até o momento seis partidos: União Brasil, Republicanos, PL, Podemos, Pros, PSDB e Cidadania, os dois últimos membros de uma mesma federação.

Neri e Márcia concluem convenções sem nomes à suplência e vice

(Foto: Natália Araújo / O LIVRE)

Neri Geller homologou sua candidatura ao Senado e junto com mais 24 nomes do Partido Progressiata que disputarão os cargos de deputado federal e estadual. A convenção foi realizada nesta sexta-feira (5), em Cuiabá, porém, os nomes da suplência ao Senado ainda não foram revelados.

“Ainda estamos fechando, mas estamos bem encaminhados, precisamos definir a questão de um ou dois partidos”, explicou o candidato.

Quanto ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB) – que decidiu não apoiar um candidato ao Senado oficialmente, mas “liberou” seus filiados a pedirem voto a quem preferirem -, Neri Geller disse ter se encontrado com o presidente, Carlos Bezerra, na tarde de ontem e ter recebido uma garantia.

“Ele me garantiu que o MDB estará conosco, então, não tenho porque questionar isso. Fizemos uma pré-campanha juntos e, certamente, faremos uma campanha eleitoral juntos também”, disse.

Sem nome do vice

A candidata ao Governo de Mato Grosso, Márcia Pinheiro (PV), também participou da convenção, uma vez que o partido ao qual é filiada está federado ao PP.

O nome de quem disputará o Palácio Paiaguás com a primeira-dama de Cuiabá, no entanto, também não foi divulgado na noite dessa sexta-feira. Segundo a candidata, isso ainda está em discussão e a escolha deve ser um consenso das legendas que apoiam o projeto.

Os nomes que ainda faltam, tanto para a suplência do Senado quanto para vice-governador devem ser apresentado neste sábado (6), o prazo final para realização das convenções partidárias era as 23h59 do dia 5.

Quanto à campanha eleitoral, Márcia afirmou que quer apresentar propostas para implantar um governo que pensará no social. A estimativa da candidata é fortalecer as ações sociais já realizadas em Cuiabá, expandindo para todo o Estado.

“Nós precisamos cuidar das pessoas. E esse é o nosso propósito: uma campanha limpa, respeitosa, levando propostas”, disse.

 

Wellington Fagundes confirma apoio de Mauro Mendes, mas aliança tem brecha

Acordo entre partidos terá foco nas campanhas majoritárias de Bolsonaro, Mauro Mendes e Wellington Fagundes

(Foto: Natália Araújo / O Livre)

O senador Wellington Fagundes (PL) disse que está confirmada a aliança com o governador Mauro Mendes (União Brasil), que apoiará sua candidatura pela reeleição. Segundo ele, o acordo foi fechado em reunião mais cedo, no Palácio Paiaguás. 

Porém, há brechas para que outros partidos da aliança “infiltrem” adversários na campanha eleitoral, que inicia no dia 16 de agosto. 

O acordo PL e União Brasil será focado no espaço para pedir voto ao presidente Jair Bolsonaro, outro candidato à reeleição. E a chapa majoritária no Estado será encabeçada por Mauro Mendes e Wellington Fagundes. 

Suplentes

O ex-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, concorrerá como primeiro suplente de Wellington. O nome dele já aparecia na cotação de alianças desde as primeiras conversas, que começaram em Brasília, com a direção nacional do Partido Liberal (PL). 

O candidato da segunda suplência deve ser apresentado na convenção do União Brasil, hoje às 18h. A escolha está sendo negociada com os demais partidos que irão compor a aliança. 

Sem fidelidade

Conforme a deputada estadual Janaína Riva (MDB), além de União Brasil e PL, estão com acordo selado Republicanos, do vice-governador Otaviano Pivetta, Podemos, PROS e MDB. 

Esse arco não inclui a fidelidade dos partidos à candidatura de Wellington Fagundes.

O MDB, por exemplo, liberou ontem (4) seus filiados a votar em seu próprio candidato ao Senado. A estratégia seria para evitar conflito das pessoas que apoiam a candidatura do deputado federal Neri Geller (PP). 

“Quando se forma uma coligação para candidato ao governo, a coligação é por inteiro. Agora, nenhum partido fechou a questão de fidelidade, principalmente de compromisso obrigatório. O único fechamento que tivemos no Brasil foi do PP, que proibiu coligação com o PT”, afirmou. 

 

Buzetti na contramão

Senadora reforçou apoio à candidatura de Mauro Mendes ao governo estadual, empbora seu partido siga com Márcia Pinheiro

Margareth Buzetti (Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

A senadora Margareth Buzetti (PP) reafirmou o apoio à candidatura de Neri Geller (PP) ao Senado e a Mauro Mendes (União Brasil), ao governo estadual. O diretório regional do Progressistas, contudo, decidiu apoiar Márcia Pinheiro (PV) para a gestão de Mato Grosso.

Buzetti esteve presente na convenção do PP que foi realizada nessa sexta-feira (5), em Cuiabá.

Ela lembrou que defendeu o palanque aberto, mas a proposta não seguiu adiante. Contudo, mesmo assim, seguirá apoiando Mendes.

“Todo mundo sempre soube da minha posição, nunca escondi, sou uma pessoa de uma palavra só”, disse.


Img 20190122 wa0077
20181115 075945
5cc3155a 60da 4bfe 810c cbbefd4935b9
Crie seu novo site Go7
vers�o Normal Vers�o Normal Painel Administrativo Painel Administrativo